Motivos para eu não gostar de: yaoi

domingo, novembro 06, 2011
Primeiramente, deixemos uma coisa clara: já encontrei alguns yaois bons, li, comentei e gostei mesmo deles. E também não é exatamente uma indireta pra ninguém, mas se alguém quiser vestir a carapuça eu nada posso fazer. Fiz esse post pensando apenas dos yaois ruins que já encontrei nessas minhas andanças no Nyah e que, direta ou indiretamente, contribuíram para eu desenvolver certa resistência a esse gênero.
Esse é o termo: resistência. Numa realidade em que as pessoas são praticamente obrigadas a gostar desse gênero (tem gente escrevendo sem gostar só pra agradar “amigos”), se você disser um simples “Não gosto de yaoi” as pessoas te olham como se você fosse um porco homofóbico, coisa que pelo menos ~eu~ nunca fui.
Chego a ficar atônita com a capacidade de algumas pessoas endeusarem certos gêneros, o yaoi entre eles, e considerarem todo mundo que não gosta como escória. Já vi uma escritora de yaoi dizendo “Quem gosta de yaoi é uma raça superior”. A maioria das categorias é dominada por yaoi (nem Yuri é assim). Claro que todo mundo tem direito a escrever sobre o que gosta, mas e quem não gosta? Eu mesma já fiquei sem coisas pra ler, tamanha a enxurrada de fics ruins desse gênero dominando os sites por aí a fora.
Vejo amigas pressionando outras amigas pra escreverem yaoi, como se só o yaoi fosse um gênero digno. Já vieram me dizer que “eu estava do lado da força, que o mundo é gay e todos vão se assumir gays mais cedo ou mais tarde e eu TENHO que escrever yaoi porque hentai não presta”.
Pelo menos, na minha cabeça, TODOS os gêneros merecem destaque quando feitos com qualidade e foi com essa frescura de “somos uma raça superior” que as maiores barbáries da história da humanidade foram cometidas. Espero não ter que ver as yaoístas fanáticas caçando “a resistência” hentai e Yuri por aí com lanças, tochas e archotes, seria muito triste mesmo.
E, a propósito, fanatismo é um câncer que enraizou na sociedade, seja ele político, ideológico, religioso, em relação a gostos, etc...
Claro, existem muitas pessoas que escrevem algo bom e também algumas autoras sensatas, como eu disse antes, e que conseguem perceber as inconsistências da maioria dos gêneros, inclusive no que escrevem. Em todas as categorias vemos histórias legais e histórias ruins, mas é triste perceber que as ruins estão dominando o mundo e soterrando as que merecem ser lidas e comentadas.
Listei aqui alguns motivos que me fazem não gostar desse gênero em específico.
Vamos a eles.


1 - A maioria dos homossexuais detesta Yaoi.
Não é tão difícil entender porque e é evidente que Yaoi (e também o Yuri) é bem diferente da homossexualidade na vida real. Eu já encontrei umas 4 ou 5 fics (vejam bem: 4 ou 5, no meio dos milhares (milhões?) de fics yaoi que existem por aí) que prezavam por essa verossimilhança. Mas a maioria é cheia de estereótipos, começando pelo fato de todos os caras envolvidos serem incrivelmente bonitos, passando pelo fato de quase sempre só existirem homens do enredo e terminando na conversinha de “seme” e “uke” que veremos mais na frente.
Outra coisa que a gente nota é o número mínimo de meninos escrevendo yaoi, levando-nos a outra conclusão: Yaoi é, em sua grande maioria, um gênero feito para mulheres por mulheres. Bara é considerado o verdadeiro gênero feito por homens gays. Outra conclusão meio óbvia: Yaoi praticamente não mudou nada na vida dos gays.
Não tenho conhecimento do Bara, até porque não existe ainda no Nyah, mas percebi que, de fato, apesar de não podermos classificar todos os não fãs de yaoi dessa maneira, vi muito mais pessoas virando a cara pra gays na vida real por julgarem que eles são da mesma forma que no yaoi.
Yaoi nada fez para melhorar a vida dos homossexuais de verdade. Não fez com que o casamento gay ou a adoção de crianças por casais do mesmo sexo fosse legalizado. Não fez com que as pessoas se tornassem menos homofóbicas.
Acho que todo mundo já viu uma fã (lembra do que eu falei sobre as mulheres serem maioria lá em cima?) desse gênero com atitudes discriminatórias com outros gêneros. Algumas acham lésbicas nojentas, outras dizem que não gostam dos gays na vida real (lembra dos estereótipos?), outras escrevem no perfil “tenho nojo de sexo hétero”. Se por acaso, um/a fã de Yuri, um gay ou um fã de hentai escreve “detesto yaoi” já vão de mimimi nos staffs dos sites “fulaninho é homofóbico” ou se juntam pra detonar essa pessoa por MPs. Já vi vários.


2- Na cabeça das fujoshis, TODOS os caras do mundo são gays. Não bis e NUNCA, JAMAIS, EM HIPÓTESE ALGUMA serão héteros. E SEMPRE serão estupidamente bonitos.
Se eles são amigos, vão se descobrir irremediavelmente apaixonados no capítulo seguinte e cinco linhas depois estarão se comendo violentamente.
Se são inimigos, tudo é tensão sexual e será resolvido assim que os dois estiverem se comendo violentamente.
Se um deles tem namorada, dará um pé na vagabunda e será feliz nos braços do melhor amigo, do vizinho, do coleguinha de escola, do professor, do tio, do pai dela (-qqqq) muito em breve e estarão se comendo violentamente antes do fim da trama.
Mesmo que, por um milagre, apareça um bissexual, ele sempre preferirá os homens às mulheres. Afinal, as mulheres do yaoi só servem pra três coisas, que veremos posteriormente.
Não existem homens feios, barrigudos, carecas, peludos, estranhos no yaoi. Todos são lindos, sexys, corpos sarados, cabelos bem tratados, unhas bem feitas, depilação em dia, cheirosos, e metade deles ainda tem traços tipicamente femininos (geralmente os ukes e o motivo disso será exposto mais adiante).
Além disso, não existem laços familiares. Irmãos comem os irmãos. Pais comem os filhos. Tios comem sobrinhos. Primo comendo primo então, nem se fala. Desconfio que muitos famosos dizem que não se importam para não atrair a ira das fanáticas. Afinal de contas, você ficaria feliz sabendo que tem uma fic em que você é comida de todas as formas por sua melhor amiga ou sua irmã? DUVIDO!
Até porque a maioria das fujoshis acha lesbianismo nojento, né?


3 – Um deles é o Seme e o outro é o Uke. Sempre. Não há troca. Um vai ser sempre o homenzinho da relação e o outro a menininha.
Parece que é uma regra não existir relação homossexual igualitária. Como uma lei, sabe? Quem desrespeita, sofre algo muito ruim e terrível (geralmente sofre com um boicote “Aquela fulana desonrou a lei máxima do yaoi, ninguém lê nem comenta as fics dela”). Sempre vai ter a parte feminina e masculina do relacionamento, e não há troca entre essas partes. Nunca, jamais.
E é engraçado porque essa divisão entre ‘’Seme e Uke’’ com um extremamente masculino (chegando ao ponto de tratar seu parceiro com violência) e o outro feminino demais (a ponto de sempre perdoar seu seme como uma mulherzinha submissa do século passado) parece deixar claro o quanto elas gostariam de escrever um hentai. Mas, geralmente por ciúmes de ver “seu” homem pegando outra garota do fandom (provavelmente mais bonita e mais sexy), o colocam com outro cara. Qualquer um pode notar que o Uke faz o papel geralmente associado às mulheres em um relacionamento (o que nos leva perceber um possível machismo por tratar o lado feminino tão submisso, entregue e preso ao lado machinho do casal), cuja única diferença é que são dois pintos pra ela olhar.
Ainda a respeito das mulheres, já notaram que só existem 3 tipos de mulheres, isso quando existem mulheres, no yaoi?
Ou é a mãe, irmã, parente de alguma forma de um dos dois (e que vão apoiar sem restrições de qualquer tipo, porque em 98% dessas fics não existe nenhum tipo de preconceito contra gays e todos são lindos, fofinhos e super bem aceitos pela galera – devia ser assim, mas não é e um pouco de realidade faz bem); ou é a puta-safada-sem vergonha que quer acabar com o namoro dos dois (por ser geralmente, apaixonada por um deles, e representar a vaca do fandom que elas querem neutralizar); ou é a amiga do casal que vai dar toda a força e só um babaca não percebe que e a autora criando um personagem pra ela mesma.
Mas é contraditório não? Porque quando é uma autora que cria uma personagem original pra namorar um dos caras e acaba separando o “casal dos sonhos da fofinha fujoshi” ela tem a cara de pau de sair de lá onde está sentada e dizer que é uma Mary Sue... Mas será que elas SABEM o que é Mary Sue?
Vejamos a definição do Wikipedia:

“Alguns tipos de fanficções são chamadas pelo estilo Mary Sue, um formato mais "açucarado" em forma de conto, romance ou novela, melodramática e apelativa. O nome do estilo é uma homenagem à Tenente Mary Sue, uma personagem de fanfics de Jornada das Estrelas dos anos 80 que definiu o arquétipo da personagem perfeita altamente idealizada. Também são chamados Mary Sue (ou Gary Stu, na versão masculina) as fanfictions onde o personagem principal é praticamente onipresente, sendo completamente inatingível.”

Podemos perceber então perceber que Mary Sue é uma personagem irritantemente perfeita, cheia de qualidades, amores na cola dela, blábláblá Whiskas Sachê. Note, linda Fujoshi, que em nenhum momento aqui diz “Mary Sue é a personagem que uma autora cria pra pegar o personagem mais gatinho de determinado fandom e separar o casal yaoi preferido de certas autoras”. Se a autoria cria um personagem pra ela entrar na história, namorando ou não o protagonista do anime ou o vocalista da banda (curiosamente a maioria dos yaois são de animes ou bandas, por algum motivo que eu nunca descobri), mas o faz e maneira decente, dosando qualidades e defeitos, criando uma história realmente boa e convincente para a entrada dessa nova personagem e consegue conduzir a história de maneira satisfatória, que mal tem?
Por que ao invés de ficarem imaginando caras héteros de uma banda X se comendo o tempo todo, ignorando o fato de um deles ser casado e o outro ser seu irmão, mudando as personalidades dos caras completamente, vocês não pesquisam um pouco mais?


4 – Mas NADA, N/A/D/A, N~A~D~A, N-A-D-A me irrita mais que:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: M-preg.
Se alguém disser na minha frente que ser gay, lésbica, bi, etc é aberração da natureza, eu brigo. Quem me conhece, sabe que já peguei brigas até com meu pai pra defender meus amigos gays.
Mas um homem engravidando é um TREMENDO ABSURDO. ISSO é aberração, isso NÃO existe, meu bem. Nenhum cientista ainda foi capaz de fazer um homem ter um bebê de forma tradicional. A não ser quando uma mulher toma hormônio masculino e fica com uma aparência de homem, NUNCA você vai ver um homem de barrigão (a não ser que seja de chopp, vida sedentária, hábitos alimentares errados, etc), então criem coisas decentes.
Já que não querem colocar mulheres na fic pra, pelo menos, fazerem uma inseminação artificial, coloquem o casal gay adotando uma criança, sei lá. De repente, até contribuem para quebrar esse preconceito, fazendo algo de útil.


Já estou prevendo a rage, caso acabem divulgando muito esse artigo. Volto a dizer: se você escreve yaois decentes, não tem motivo pra começar a pedir minha cabeça numa bandeja. Até porque se você escreve algo decente e coerente MESMO vai concordar pelo menos com um item dessa lista.
E... Acho que, por enquanto, é só.

23 comentários:

  1. Esse não é um assunto do qual eu esteja inteirada, mas concordo plenamente. Quero dizer, eu nunca procurei saber sobre, nem li nada do gênero. Até me perdi um pouco com as nomenclaturas no seu post (rs), mas concordo plenamente. Liberdade criativa é uma coisa. Licença poética? Opa! Mas nonsense à la maystein é uma coisa intragável. É por essas e outras que fiquei traumatizada com o mundo das fics e me afastei por muito tempo... Essas coisas mal escritas, frutos de desejos(?) mtas vezes distorcidos das autoras.

    ResponderExcluir
  2. Acho que isso tudo resume-se em duas coisas: falta de pesquisa e imaturidade. O gênero em si não tem nada demais, tá no mesmo nível do que qualquer outro, o problema é que é escrito muito mal na maioria dos casos.

    E questão de pensar mais um pouquinho e correr atrás de informações sobre como anda a questão LGBT por aí.

    Sobre questão de realidade ou não, direito do autor se ele quer escrever algo mais leve ou não. Percebo que os yaois mais embasados costumam ser originais.

    Quanto a colocar só caras bonitos num yaoi / slash, não tenho muito o que criticar, vejo essa onipresença de gente bonita também em hetero e yuri. Quando um perosnagem não é lindo e maravilhoso, é só "comum, mas fica ótimo depois de se arrumar". Aí não é questão do yaoi em si, é questão da comunidade de ficwriters inteira.

    Esse treco de shipparem caras heteros / shipparem irmãos / etc. também não é só do yaoi. Por sinal, incesto é bem mais comum em fics hetero (mas isso fora do Nyah). E tem um povinho em site gringo que se duas gurias sorriem uma pra outra, pá, é yuri. Não é problema do gênero, é problema do escritor também.

    Mas olha, a maioria das escritoras amadurece depois de uns anos e ou melhora a escrita, ou simplesmente pára de escrever.

    Relaxa que não vesti carapuça nem nada, só dando opinião. Posso estar parecendo bem fora da realidade, mas é que eu tô andando bem mais pelo fandom americano de Homestuck e as coisas são bem diferentes por lá o/

    ResponderExcluir
  3. Título mais polêmico que MAMILOS, huahuahuahua.
    (...)
    Concordo plenamente com o primeiro parágrafo TODO. Disse tudo, hein?
    (...)
    Não é tão difícil entender porque e é evidente que Yaoi (e também o Yuri) é bem diferente da homossexualidade na vida real. -> VDD, qtas vzs já não li umas barbaridades nada a ver? D:
    (...)
    Nem sabia desse Bara aí. =XXXX
    (...)
    Na cabeça das fujoshis, TODOS os caras do mundo são gays. Não bis e NUNCA, JAMAIS, EM HIPÓTESE ALGUMA serão héteros. E SEMPRE serão estupidamente bonitos. -> Para fujoshis, heterossexuais são um mito, né? Ou se confundem com homofóbicos. E claro, os personagens sempre tem q estar se comendo como se só vivessem disso/para isso. Acho incrível, pq tenho dois amigos gays e NENHUM curte Yaoi.
    (...)
    Se eles são amigos, vão se descobrir irremediavelmente apaixonados no capítulo seguinte e cinco linhas depois estarão se comendo violentamente. Se são inimigos, tudo é tensão sexual e será resolvido assim que os dois estiverem se comendo violentamente. -> Como comentei lá em cima, huahua.
    (...)
    Um deles é o Seme e o outro é o Uke. Sempre. Não há troca. Um vai ser sempre o homenzinho da relação e o outro a menininha. -> Como diz um amigo guei: “Nem sempre, geit. As vzs se dá, na outra recebe!” huahuahua, faço deles as minhas palavras e me calarei.
    (...)
    Mary Sue: Uma incompreendida. Literalmente – as pessoas não sabem o que é isso. D:
    (...)
    “Curiosamente a maioria dos yaois são de animes ou bandas, por algum motivo que eu nunca descobri)” [2]
    (...)
    M-preg. – só curti no filme “Júnior” do Schwarzenegger – quando vi, era criança, então nem dou mto crédito para isso. M-preg me dá vergonha alheia e ponto.
    Iniciemos então uma campanha para bons yaois – ou melhor, para boas fics em geral.

    ResponderExcluir
  4. Mi, concordo com tudo o que você disse. E ri muito!
    Só li uma fic yaoi boa até hoje e não foi no nyah. Nada contra as fics de lá, claro, afinal eu posto as minhas lá.
    O que mais me desagrada é o comportamento das escritoras de yaoi. Esse fanatismo não me agrada. Esse preconceito e essa coisa de só o que elas escrevem são o melhor é o pior sabe.
    E minha ideia para comentar fugiu,porque o blogger deletou o meu primeiro gigantesco.

    Excelente artigo, alguém precisa dizer umas verdades para essas meninas imaturas.

    ResponderExcluir
  5. achei q vc ta super certa....eu fico lendo yaois e amo muito, não vou pedir sua cabeça numa bandeja...a maioria das coisas que vc citou eu não tinha nem percebido.
    O fanatismo realmente está ficando exagerado, tenho amigas que so por me ouvirem falar de yaoi foram assistir e não gostam, não tenho nada contra até por que cada um tem sua opinião mas o problema é q conheço pessoas que tem preconceito com quem não gosta e isso é absurdo !

    Palmas pra vc *clap**clap**clap*

    ResponderExcluir
  6. tem gente escrevendo sem gostar só pra agradar “amigos”) - kkkkk.... a carapuça serviu nessa, Mi...... de verdade.... mas houve uma época em que eu era apaixonada por yaoi..... mas nessa época os yaois eram mais decentes... já tinham esses estereótipos e tudo mais mas eram mais reais... os caras sofriam.... bem... acho que é por isso que eu prefiro mangás yaois..(alguns são bem sofridos) do que fanfics yaois...*o*bjinhossss

    ResponderExcluir
  7. Parabéns mesmo pelo texto.

    Eu só não concordei muito com a parte do M-preg. Até porque, eu já fui MUITO resistente ao gênero. Mas graças ao trabalho de revisão de uma fanfic de uma autora que (perdão da palavra) é foda na escrita, que amadureci quanto essa ideia. Digo, parcialmente...

    Eu sou yaoiwriter e até tinha parado de me denominar 'fujoshi' ou até "tiete" de algum ship, exatamente quando descobri a divisão que existe dentro desses gêneros.

    Eu tive minhas fanfics atacadas algum tempo atrás por pessoas que se dizem fãs de yaoi, mas não toleram modificações no padrão do que elas acreditam ser yaoi.

    Eu passei a ser apedrejada, exatamente pelo que você citou muito bem, quando comecei a trabalhar nas minhas fics a inversão do padrão "seme e uke". Ou até mesmo, quando passei a escrever o lado um pouco mais realista da vida homossexual: o gay mais afeminado, um gay não tão bonito, mais velho, com uma barriga de Chopp acentuada, etc...

    Até porque, não aprendi a gostar de Yaoi, a partir do que chamam de yaoi. Eu gosto, e sou fão até hoje de mangás/animes shounen. Onde há uma leve menção (shounen-ai), mas não existe Yaoi de verdade. Muito menos, os estereótipos que existem no yaoi verdadeiro.

    Em um anime/mangá shounen, temos dois garotos, que estão ali para representarem garotos normais. Então, não dá pra afirmar que no canon do original tal personagem é o 'seme' e o outro é 'uke'. Até porque eles não são.

    Então, quando comecei a escrever fanfics yaoi, procurei não me prender nesses estereótipos, mas eles acabam aparecendo inconscientemente. Até porque eu não sou um homem gay, e tudo que faço é idealizar como seria esse relacionamento e acaba chegando um momento que ao invés de estar escrevendo homem x homem, você está escrevendo homem x homem-mulher (no caso, quem tá escrevendo).

    Mas o amadurecimento vem com o passar do tempo. Lembro que a minha revisora pegava muito no meu pé: "Andréia, um homem não age assim", "um homem não age assado", "um homem não falaria isso, não faria isso, não pegaria alguém assim"... E foram tantos puxões de orelha que isso foi interiorizando e fazendo com que eu amadurecesse.

    E foi depois disso tudo que passei a descrever homossexuais mais reais e foi quando descobri a divisão que existe entre yaoifãs... Diferença que está causando confusão, como você generalizou no post, muitos acreditam que toda fujoshi tem o pensamento igual ao que você expôs, o que não é bem o caso.

    Mas infelizmente o termo "yaoi" popularizou e não tem como alguém de fora, saber distinguir. Mas, digo que existe um grupo de fãs Yaoi, que não pensa dessa forma. Nem usamos tanto o termo "yaoi" e sim "BL", que é o termo correto no Japão.

    Afinal, como é possível ser uma mulher hétero, escrever yaoi, e dizer que o yaoi vai dominar o mundo e todo o homem da Terra vai virar gay? E aí? E a mulher hétero que curte yaoi vai namorar com quem mesmo?

    ResponderExcluir
  8. Continuação...

    Por isso gostei muito do seu artigo, Michele. Ele reforçou em muito a ideia que eu tinha sobre a divisão e a distinção que existi no mundo do yaoi fã.

    E agora vou passar a analisar melhor quando uma pessoa disser que não gosta de yaoi. Afinal, se ela não gosta, é porque teve uma experiência ou um contato ruim, e tem haver com o lado mais imaturo da coisa.

    Mas digo, não pense que toda a fujoshi/ fã de Yaoi/BL seja dessa forma que você descreveu.

    Tem um grupo de Yaoifã que são formados por pessoas bem adultas, que se unem a causas homossexuais, que escrevem livros, artigos em revistas, webcomics, sites... São casadas, tem filhos, têm namorados, sabe distinguir o que é vida real da fantasia. E até procuram elaborar seus trabalhos com base mais nessa realidade do que na ficção.

    Esse grupo também concorda que muito yaoi, não tem nada haver com o mundo homossexual de verdade, e para mim, particularmente, boa parte dos yaois originais é muito mais shoujo do que yaoi... Porque normalmente, neles, o uke é tipo uma adolescente inexperiente... O que é bem anormal até no mundo hétero hoje em dia.

    Também não vou dizer que não gosto de histórias mais fantasiosas. Eu acho fofo, por exemplo, o anime de Sekai ichi, mas sei distinguir perfeitamente que aquilo é pura fantasia feminina. Quase um conto de fadas. xD

    Parabéns pelo post e pela iniciativa, vou divulgar seu artigo para as minhas amigas!

    Escreva mais artigos assim!

    ATé!

    ResponderExcluir
  9. Boa noite! Li seu texto e adorei. Só vim para fazer um pequeno comentário. Primeiramente, eu concordo que há sim fujoshis que realmente pensam do jeito que você descreveu. Mas por favor, não são todas. Assim como você disse sobre o esteriótipo de "seme" e "uke" que algumas delas tem, outras, por outro lado, não pensam assim, e até se indignam. Nem toda obra yaoi descreve esteriótipos, talvez, a maioria delas, mas não todas. Gostei muito do post, mas só queria dizer isso, porque hã... sou fujoshi? Quer dizer, eu não me considero, eu apenas curto yaoi, gosto de fanfics e doujinshis do gênero, mas nada de "yaoi 4life fag fag"... existem limites. Reconheço, como disse anteriormente que as fãs fanáticas são mesmo a parte 'negra' do fandom, mas não há apenas 'fujoshis' fanáticas, há fãs de personagens que agem e falam como se ele realmente existisse; tal como 'orgulho', aonde fica o 'orgulho' dele, se for x e não y. Isso acontece tanto com fãs de yaoi, como fãs de hentai, e qualquer outro gênero. Não estou comentando aqui para defender ninguém, só estou expressão a minha opinião também; acho que é equivocado generalizar, dizer qe "todas" as fãs são assim. A maioria infelizmente é. Mas não todas

    A questão do M-preg, como é sua opinião, eu concordo, porque não sou fã de M-preg. Já li fanfics muito boas com M-preg, mas não é meu estilo favorito.

    Bem, obrigada.
    Boa noite!

    ResponderExcluir
  10. rindo do final:Já estou prevendo a rage, caso acabem divulgando muito esse artigo. Volto a dizer: se você escreve yaois decentes, não tem motivo pra começar a pedir minha cabeça numa bandeja. Até porque se você escreve algo decente e coerente MESMO vai concordar pelo menos com um item dessa lista. de fato* concordo em algumas coisas.bem bem...caraeu escrevo fics e recentemente deixei de escrever coisinhas açucaradas,se bem que boa parte de meus fandoms sao levados a um mundo ficticio e cheio de tradições. Meu uke nunca foi uma garotinha...¬¬sei que devemos levar parte destes romances ao extremo do realismo e tal...mas qual o problema em se fantasiar um pouco?o que custa?...que não sabe...que isso de forma alguma agrada o publico gay..putxx me poupe ne?....todos nós sabemos diferenciar...e esta de colega baka no meio da relação de um casal nunca ocorreu comigo de escrever isto.ahh já eu sou super fã de M preg e a opinião é sua moça.so lamento..é aquela coisa temos o poder de criar o que quinsermos..mesmo sendo estranho ou nojento,mas eu lendo o texto dela..me lembra um post ofensivo de quem nunca leu nada com intensidade,ou nem sequer escreveu algum romance...ela apenas digamos" uma leitora observadora...mas não sabe todo o contexto historico..isto me fez lembrar daquela bela materia da revista New Tokyio super completinha^^

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelo texto Lady. Ri bastante lol

    Eu já fui uma yaoilover ou BL (na minha época essa nomenclatura nem era usada aqui no Brasil ainda), mas me afastei justamente por causa do fanatismo das fãs que não sabem distinguir fantasia de realidade.

    Misturar um pouco de fantasia não faz mal? Certo. Agora exagerar nunca é bom. Isso vale tanto para hentais e yuris.

    Tudo precisa ser dosado na medida certa.

    ResponderExcluir
  12. Heeh, vi esse post a um dia e não tiro ele da cabeça! Oo 3 anos que foi postado e só vi agora.

    Kra esse post fala tudoo! Adorei a forma que você aborda cada tema... Muito bom!

    Então...

    Creio que você deveria dividir em um subtema, ficaria mais compreensivo. Yaoi é um tema um pouco extenso para ser argumentado só com base em fanfics. De acordo com o fandom, por exemplo: eduardi e jacobi (crepusculada), não acho que é certo denominar de Yaoi. Seria a mesma coisa que denominar um filme, serie, livro homosexual de yaoi. Já que yaoi é uma categoria para animes/mangas nos quais existe demonstração de afeto entre dois homens. Um termo japones!

    Ok então...

    Aah, sobre Seme e Uke. Eles são termos dados Exclusivamente (em maioria), a cada um que forma o casal! Logo o termo ficou conhecido e hoje usado normalmente. E tudo relacionado a yaoi e pego de animes/mangas do genero. Isso é o Yaoi, assim se quiser algo diferente pode ser que tenha em historias homosexuais (não necessariamente o termo japones).

    Ok... Não que deveria ser,classificado como uma critica, até porque não existe criticas para esse post maravilhoso (a não ser que venha uma "fujoshi" recalcada, que nem sabe o significado de "FUJOSHI").

    Não prenda-se muito a fanfics!
    Mpreg nunca!

    Não sei se você le mangas ou assiste anime, mas se não, recomendo que conheça os yaois de VERDADE. Sekaiichi e junjou são um bom começo.

    ResponderExcluir
  13. Digitando com os pés porque com as mãos estou aplaudindo.
    De verdade, eu nunca imaginei que encontraria alguém com TODAS as opiniões iguais as minhas em relação à yaoi.
    O problema não é escrever yaoi, afinal, todo mundo é livre para escrever o que quiser. O problema é não dar essa liberdade para nós, pessoas do outro lado que não gostamos desse tipo de leitura. TEM essa diferença: 'não gostar' e 'odiar' não são a mesma coisa. Eu não odeio yaoi, simplesmente é um gênero que não me atrai. SIMPLES. Mas a partir do momento que as escritoras/leitoras de yaoi se armam contra mim e demais pessoas que pensam como eu, isso beira o absurdo. Quer dizer, tudo bem o ódio explicito por hentai e por quem escreve hentai, ótimo, a vontade, vamos exterminar mocinhas que curtem o hétero. Mas quando nós dizemos "não leio yaoi" somos preconceituosas, homofóbicas e mimi mimi mimi mimi? Ah, por favor, vamos equilibrar e viver uma coisa chamada "direitos iguais".

    De fato, eu só li verdades aqui. Não vou nem começar a minha opinião sobre mpreg porque vai gerar mais polêmica e eu não tô a fim de tretar hoje (hoje, vamos frisar) mas concordo muito com o que você falou.

    ResponderExcluir
  14. concordo com vc, não entendi na primeira vez que vi mpreg, achei algo muito confuso

    ResponderExcluir
  15. Concordo com você, e simplesmente amei o seu texto :D Embora eu já tenha encontrado alguns yaois bons, a maioria ou não ajuda em nada a causa ou até ajuda a aumentar o preconceito (principalmente com aquela definição de "seme" e "uke" que não pode ser quebrada e o fato de todo mundo ser bonito nessas histórias).
    Já escrevi casais héteros, gays e lésbicos, e realmente não consigo entender algumas das minhas leitoras.

    ResponderExcluir
  16. Concordo com você, escrevo Yaoi a mais ou menos 3 a 4 anos, tento não me focar em quem é seme ou uke (atualmente, quando comecei a escrever devido a influência dos mangas, creio eu, me concentrava muito em esteriotipar) e cara... Se você escreve Yaoi, deveria pelo menos apoia a causa, contra a homofopia e ao respeito as diferenças. Nunca critico o gosto de ninguém desde que não prejudique o seu próximo para mim está tudo bem.

    E eu escrevo Mpreg kkkk
    sim, é estranho, a primeira vez que li achei muito surreal, porém acabei adrindo, mas eu sempre foco no signficado do nascimento e não no processo fisiologico/biologico envolvido.

    ResponderExcluir
  17. Cara, eu amo e escrevo Yaoi, mas eu concordo plenamente com você. No meu caso, fui influenciada pelos AMV Yaoi que apareceram do nada enquanto eu assistia um sobre "Fairy Tail" (vê se pode...) e apareceu Junjou Romantica, DO NADA, pra mim. Me interessei, nunca tinha visto nada do tipo.

    A grande parte desse interesse deu uma sumida graças a esses esteriótipos. Jesus, que raiva! Não existem apenas gays afeminados! E SIM! ELES EXISTEM! Eu tenho um amigo gay que é a maior gracinha do universo e até tem a voz mais fina que a minha!

    Eu gosto de um clichê de uke baixinho e seme altão de vez em quando, mas não sempre! É bom variar. Eu gosto de variar bastante, então tem o típico clichê uke baixinho e seme altão, apesar de ser minoria; tem o uke altão e o seme baixinho; uke e seme altos; uke e seme fortes; seme com problemas emocionais e uke forte que mal demonstra os sentimentos; e, acima de tudo, TODOS ELES SÃO VERSÁTEIS!

    Não tem essa frescura, não! Claro, possivelmente, há um que dê mais do que receba por opção, mas TODOS os meus personagens gays SÃO versáteis. Qualé, vamos explorar as diversidades, pessoal! A mesma coisa sempre CANSA! Eles podem ter uma pegada diferente dependendo se estão "dando" ou "recebendo". E atualmente, estou pensando em explorar o "mundo dos mais velhos", sabe? Aqueles barrigudinhos fofinhos? HHAAHAHAHA.

    Eu, literalmente, não me importo se a pessoa é gorda, magra, bissexual, transexual, gay, lésbica... Se você me respeitar e não me prejudicar, eu vou fazer o mesmo, ponto final.

    ResponderExcluir
  18. Cara, sou hipeeer fujoshi, escrevo e leio yaoi, mas amo yuri, sabe oq é amar? AMO MTO
    N acho e nunca achei lesbianismo nojento (por isso, obrigada por n generalizar)
    E é vdd, nunca liguei pra isso de uke e seme, nunca vi necessidade dissos ser motivo de pessoas deixarem de ler, afinal, elas leem pela historia ou pra vê quem come quem?
    Amo os versateis, amo as historias, pra mim o sexo é só detalhe msm.
    E leio mta fic hentai, tem uams que da ate vontade de grudar na testa e sair gritando "OLHEM QUE COISA MAIS LINDA"
    ashuashua
    Mas super concordo com você, amo yaoi, sou fujoshi, mas realmente, devo concordar.

    ResponderExcluir
  19. Concordo em várias coisas q vc citou no post, tipo, no meu caso eu leio e escrevo tudo quanto é gênero, mas as fanfics yaoi são as q o povo mais lê, então falando por mim, passei a escrever yaoi pra poder conseguir leitores, só que eu não fico presa à quem é o seme ou quem é o uke, eu simplesmente escolho o casal, indiferente se os leitores vão gostar ou não porque particularmente eu não gosto de ficar com esse estereótipo tipo o Naruto só pode fazer par com o Sasuke, eu sempre vario.
    E o que vc falou de postarem de personagens de anime ou caras de banda eu respondo: é porque eles mesmos já incitam essa idéia de que pode haver algo entre eles (o casal, tipo Naruto e Sasuke, L e Raito, Yugi e Kaiba e por aí vai, nas bandas acontece a mesma coisa, dois amigos unidos demais já é um casal de faanfic yaoi.
    Mpreg eu até leio mas não escrevo não porque realmente é ilógico, não tem como digerir um realidade dessa ao escrever, mas na hora de ler é fantasioso.
    Pra mim depende muito da história, seja o gênero q for, tem yaois q posso odiar e heteros q vou amar e vice versa.

    ResponderExcluir
  20. NOSSA EU SUPER CONCORDO COM VOCÊ !!!!
    Eu também já estou ficando sem opções de animes e mangás e até fanfictions, porque TUDO NESSE !@#$% está tendo brotheragem entre os garotos, saudades dos tempos em que tinha animes héteros fofinhos sem levar pro lado sexual, nem nos animes de Yuri tem tanta sexualidade como no Yaoi, até parece que eles só pensam em sexo, na vdd não eles , mas as ''fujoshis'' , hoje foi a gota d'água pra mim, quando fui assistir o episódio 3 de Uta no Prince Legend Star e os personagens estavam quase se agarrando na frente da Nanami, que desde o começo era o alvo dos garotos, e agora que tem mais personagens homens e bonitões , cadê o ciúminhos das outras temporadas ? agora estão agindo praticamente como se não tivesse garotas naquele anime, pelo amor de Deus --', não aguento mais essa chuva de yaoi que está chegando, e eu sei que o público fujoshi está crescendo cada vez mais, e eu respeito e não dizia nada, mas agora isso está me estressando pois está afetando os criadores dos animes, mangás e fanfictions etc... porque claramente isso faz muito sucesso, até em grupos de k-pop a parte em que as garotas mais piram é quando um deles finge estar beijando outro integrante da turma, mas como você disse aqui '' __parece deixar claro o quanto elas gostariam de escrever um hentai. Mas, geralmente por ciúmes de ver “seu” homem pegando outra garota do fandom (provavelmente mais bonita e mais sexy), o colocam com outro cara.__'' É EXATAMENTE O QUE VEM NA MINHA CABEÇA, só pode ser isso, pois eu que não sou yaoista também, as vezes em alguns animes a personagem garota é tão chata que eu acabo shippando ele com algum cara mesmo ou prefiro que fique sozinho, mas é porque nesses animes eu sempre me imagino no lugar da garota kkk, e se não tem garotas no anime, não tem como eu imaginar porcaria nenhuma, pois eu não ficaria olhando dois caras de pegando e tratando as outras garotas como não sei o quê. Sinceramente está ficando muito chato mesmo, e como vc disse também , chegar e dizer que não gosta de yaoi é a mesma coisa de se declarar homofóbico, o que não é o meu caso porque eu gosto de Yuri, mas de alguma forma não gosto de yaoi e não consigo gostar, adoro ver animes baseados em otome game, mas até nisso para agradar as ''malditas'' fujoshis, eles estão TIRANDO AS GAROTAS QUE SÃO AS PROTAGONISTAS e deixando garotos que fazem parte do harém dela no lugar... esse foi o caso de Ozmafia também e muitos outros que estão em lançamento agora, ISSO É INACREDITÁVEL, estão mudando a história pelo bem dos que curtem yaoi, mas e as que só querem um anime hétero de boas ??? sem apelo sexual e rola pra todo lado??? e é uma coisa que não adianta reclamar pois está virando febre no mundo todo SÓ QUE INFELIZMENTE ESTÁ ATINGINDO OS CRIADORES TAMBÉM e como resposta nós temos animes no estilo que não gostamos, e eu que sou viciada em animes desde os 7 anos de idade e agr estou com 20, estou completamente sem opção para animes e mangás, antes só saia anime shounen , só mostrava peitos e tudo mais, no fim o cara pegava a garota que ele queria, mas e agora são com Yaois , dão um pé na bunda das garotas e se pegam e as bobocas ficam lá suspirando, e quando o anime é baseado em otome game , nem se compara com os shounens ou shoujo, pois não tem história direito, é só caras bonitões, EU SÓ QUERIA ANIMES DE ROMANCE BONITINHOS SEM ROLA BATENDO EM ROLA, SERÁ QUE ISSO É TÃO DIFICÍL DEUSSSSS ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara alho mano, mega RT aqui. Mesmo opinião mds.
      Cansei de assistir essas poha toda e acabar totalmente desfocado do que era. Isso cansa.
      O pior é que se falar que não gosta vão dizer que é homofobia -.-'

      Excluir
  21. Olha só onde eu vim parar. Eu leio muita (muita mesmo) fanfic yaoi, e devo dizer que apesar de gostar muito do gênero (sem discriminação, gosto de ler todos) tenho que concordar inteiramente contigo. Enquanto lia percebi que eu mesma já fiz várias dessas coisas nas minhas histórias de forma completamente inconsciente. Acho que quem leu esse post com a mente aberta percebeu isso também; que meio que existe uma "fórmula" para o yaoi, porque uma grande parte das histórias se parecem MUITO.
    E sobre isso das fanfics de bandas e tal, chegou de fato num momento que eu não estava conseguindo separar a ficçao da realidade e via a história no cantor etc, foi aí que eu parei de ler fanfics com personagens reais, falha minha. Para mim esse post foi muito proveitoso, porque eu tô numa fase querendo levar minha escrita pra um nível acima, me desafiando a criar personagens originais, e ler isso me fez perceber que eu estava escrevendo a mesma coisa que eu sempre reclamo nas fanfics rs.
    Pra finalizar, porque eu falo e falo e não digo quase nada, obrigada por esse post.

    ResponderExcluir

Não gostaria de entrar e tomar uma xícara de café?

Tecnologia do Blogger.