Guia Prático de Como Fazer uma Boa Fanfiction: Introdução

segunda-feira, janeiro 13, 2014


Olá, pessoal.
Através desse guia, pretendo auxiliá-los explicando alguns conceitos utilizados no mundo das fanfictions e tirando algumas dúvidas a respeito da criação de uma boa história como um todo.
A ideia de fazer um manual resumido e rápido explicando como fazer uma fanfiction surgiu após eu perceber que muitos escritores se sentem meio "perdidos" quando vão começar uma história, não sabem que classificação colocar, que gêneros fazem parte da história ou mesmo o significado de alguns termos, então resolvi reunir aquilo que eu já sabia sobre o tema, pesquisar mais e construir este guia para ajudá-los na construção de histórias cada vez melhores. É sempre bom encontrar uma fic organizada, com personagens surpreendentes e enredo bem construído, dá mais prazer na leitura, nos sentimos motivados a continuar, comentar, recomendar pros amigos... Mas escrever não é fácil. Requer atenção, dedicação, pesquisa, auto-crítica e, principalmente, requer que você ame o que faz.
Antes de tudo, convém iniciar dizendo que escrever não é uma ciência exata. Diferentemente da física, da matemática, química, entre outras, que possuem fórmulas e leis na maioria das vezes incontestáveis e imutáveis, no mundo das fanfictions várias coisas são bem relativas. 
Existem vários sites de postagem de histórias e vários deles possuem visões diferentes, principalmente sobre os gêneros de fanfictions — quando se compara os conceitos dos sites estrangeiros com sites brasileiros, em alguns casos, a diferença é gritante —, então é difícil chegar a um consenso. O que será apresentado aqui é fruto de pesquisas em vários sites diferentes, sistematizado para uma melhor compreensão e todas as fontes serão apresentadas ao final do manual.
Antes de iniciar uma história, você tem que pensar em várias questões. Vai ser uma fanfiction ou uma fiction (veremos a diferença entre ambos mais adiante)? Vai ser de um filme, livro, anime, mangá, cartoon, banda, um crossover? Quantos e quais personagens ela vai ter? Onde vai se passar? Em que época? Vai ser um futuro/passado de uma história que já existe? Quantos capítulos ela vai ter? Ou você vai escrever uma história totalmente sua e apenas baseada em outra obra? Você vai reescrever uma história que já existe?
Primeiramente, escolha um tema que você domine e goste. Parece óbvio, mas muitas pessoas escrevem sobre o que não gostam apenas para agradar algum amigo ou mesmo conseguir popularidade. Não adianta escrever algo por obrigação ou por desejo de ganhar “fama”. Além disso, fica bem mais fácil explicar acontecimentos, contar histórias e narrar algo que já se conhece.
Mas mesmo quando já conhecemos determinado assunto, é sempre bom pesquisar. Quanto mais você souber a respeito, mais enriquecerá seu texto e, no caso das originais, o universo criado por você ficará cada vez mais verossímil. Nada de ver uma propaganda da TV, um trailer, uma matéria, etc. e achar que sabe tudo. Se não viu ou leu, veja ou leia, procure sites sobre o assunto, pesquise ou simplesmente desista e procure algo que você goste e conheça bem. Escrever sobre o que você não sabe é um dos primeiros passos para uma fic mal escrita.
Se você for reescrever tudo, cuidado para não fugir muito do tema central da história (exceto se for uma UA, universo alternativo, que veremos mais adiante, ou seja uma fuga intencional). Se você fizer uma história original, seu trabalho será bem mais fácil, porque você terá completo domínio no universo que criou, sem ter que se preocupar em não destruir a personalidade dos personagens já existentes, apenas em manter o que você já tinha na cabeça.
Outra coisa: evite ao máximo os erros de português. Muitos leitores chegam a deixar de acompanhar uma história por causa de excessivos erros de gramática e ortografia. Claro que ninguém é obrigado a saber tudo da matéria, até porque todos nós temos dúvidas, mas várias dúvidas bobas podem ser tiradas com o auxílio de um bom dicionário e um bom livro de português por perto. Existem sites ensinam questões referentes à colocação dos sinais de pontuação, concordância verbal e nominal, etc. Evite também escrever palavras no "internetês" ou fazer uso de emoticons em suas histórias, exceto se tiver uma conversa virtual ou uma SMS no contexto da sua fic. Estes recursos foram criados para serem usados na internet, em chats ou sites de relacionamento, etc, por tornarem a comunicação mais rápida, mas no meio de uma história você não vai precisar deles.
Aconselha-se sempre o uso de um bom beta-reader (também darei mais informações sobre eles mais adiante). Por mais que se tenham corretores ortográficos por aí, a maioria deles — senão todos — nos prega peças. Pedir para alguém ler seu texto antes da postagem e fazer uma análise crítica sobre ele ajuda você a não ter erros de português ou de enredo, além de dar valiosos conselhos em como caminhar com a história, evitar repetições, contradições, entre outros. Outro conselho valioso é sempre ter back-ups atualizados de suas histórias em um CD, pendrive, site de back-ups ou mesmo em seu e-mail. Se você, por acaso, precisar formatar seu computador, o arquivo for danificado ou a história for deletada de algum dos sites em que você posta, você não perde tudo o que fez.
E cuidado com a classificação, um aspecto onde muitos erram. Alguns colocam a classificação muito alta e, como consequência, as histórias não têm muitos leitores, outras a colocam muito baixa, o que pode levar a uma advertência ou exclusão de conta. Teremos um post para este tema mais adiante.
Para encerrar, alguns temas requerem cuidados e alguns autores acabam sendo mal interpretados pela forma como colocam esses acontecimentos no texto. Violência, preconceitos de diversos tipos, uso de drogas (lícitas ou ilícitas), abandono e maus-tratos a crianças, entre outros. São temas com pontos bem relativos e o que não é ofensivo para você, pode ser para outra (e vice-versa). O melhor a se fazer é sempre se perguntar se o que está acontecendo na sua história tem o intuito apenas de contar algum acontecimento fictício ou se pode ser interpretada como apologia a tal prática. Se a resposta for “estou exagerando e possivelmente incentivando certos acontecimentos que no mundo real são crimes”, o melhor é tentar mostrar a cena de outra forma.
Por isso, sempre se faz necessário um aviso do tipo “não tenho o objetivo de disseminar determinados acontecimentos, apenas contar uma história ficcional”, uma versão do famoso “não repita isso em casa, eles são treinados para isso”. Nem sempre as pessoas têm consciência para separar o deve ficar no mundo fictício e o que pode vir pro real, melhor se prevenir.
Tomando o máximo de cuidado para não ser mal interpretado e colocando a classificação certa, muito dificilmente a sua história vai ser deletada de algum site por infração de regras e dando o melhor de si para escrever uma história, o sucesso é garantido. Tente sempre quantas vezes for preciso, acertar logo no começo é difícil, mas o segredo é continuar sempre tentando.
Boa sorte com suas histórias, nos vemos no próximo post.

Nenhum comentário:

Não gostaria de entrar e tomar uma xícara de café?

Tecnologia do Blogger.