[RESENHA] Macaco: Uma Jornada ao Oeste

sexta-feira, janeiro 23, 2015

"Macaco, porque você causou grandes problemas no Céu, tive que aprisioná-lo. Felizmente seu encarceramento terminou e você adotou o Grande Ensinamento. Dedicando-se à punição do mal e à promoção do bem, ganhou seu mérito. Ao longo da jornada, você subjugou monstros, demônios e diabos com um único propósito."


O Romance popular chinês Jornada ao Oeste foi publicado pela primeira vez em 1592 e é atribuído ao sábio Wú Chéng'en, da dinastia Ming. Baseado em lendas tradicionais, mitologia, filosofia chinesa popular e, principalmente, no taoísmo, confucionismo e budismo, ela é considerada um dos quatro romances clássicos da literatura chinesa.
O livro que li, uma versão recontada por David Kherdian, pode ser dividido em duas partes, a primeira onde é narrado o nascimento e as travessuras de Macaco, e a segunda, onde Tripitaka e seus discípulos, Pigsy, Sandy, Macaco, e o dragão que lhes serve de montaria, fazem a jornada que dá nome ao livro, partindo ao oeste em busca das escrituras sagradas para salvar as almas do povo da China.
Ele consegue, de forma admirável, unir um conto picaresco e bem humorado, com linguagem leve e divertida, a uma profunda reflexão filosófica e espiritual, contendo alegorias para o Caminho Verdadeiro da iluminação. Isso faz o livro ser acessível para pessoas de qualquer idade, desde crianças e jovens interessadas em ler uma história com criaturas fantásticas e batalhas épicas, até um interessado em compreender o pensamento filosófico e religioso chinês.
Esse conto é tão popular e propagado no oriente, que serviu de inspiração para várias outras obras, dentre elas o game Enslaved, os filmes O Reino Proibido, com Jack Chan e Jet Li, e O Rei Macaco (esse ainda preciso ver) e o anime Dragon Ball (devo dizer que ler o livro proporciona uma compreensão pro mundo do anime e todas as criaturas que ali estão.
Meu exemplar foi publicado pela editora Odysseus, tem 290 páginas e me custou a bagatela de R$30,00. Pra quem tiver curiosidade, vou deixar links de obras inspiradas pelo conto.







Meu nome é Victor Hugo de Oliveira Rezende. Tenho 20 anos. Faço faculdade de Direito e gosto de ruivas (naturais). Escrevo desde o ano em que fui alfabetizado (fiz um conto sobre uma bruxa, a diretora chamou meus pais preocupada comigo, foi engraçado). Mas aos 14 anos comecei a levar a sério e comecei meu primeiro, que só terminei há alguns dias.

Nenhum comentário:

Não gostaria de entrar e tomar uma xícara de café?

Tecnologia do Blogger.