Top 5: Atitudes que você deve evitar ao escrever

sábado, março 21, 2015


Hoje quem vai falar é muito mais a Michele leitora que a (que tenta ser) escritora. Novamente (e é triste ter que deixar isso claro toda vez), a ideia não é proibir ninguém de fazer o que quer que seja, apenas aconselhar. Se bem que se você quer ser um(a) escritor(a) sério(a), vai perceber porque não deve fazer nada do que está nessa lista.
E sem mais rodeios, vamos a ela.


5) Não saber o básico de gramática/ortografia
Como já havia dito noutro top, não é necessário saber tudo e dúvidas nós todos temos, mas a língua é a ferramenta de trabalho de um escritor. Imaginar que é possível ser escritor sem saber sequer diferenciar "mais" de "mas" ou que início de frase e nome próprio têm letra maiúscula é como alguém achar que será um bom cirurgião sem saber sequer manejar um bisturi. É o básico. Você TEM que saber. E se não sabe, estude, meta a cara nos livros. Não faz mal nenhum nem cai a mão. Pelo contrário.
Isso que só falei da questão mais técnica. Se eu for citar gente que não sabe sequer a diferença entre prólogo e epílogo, as diferenças entre primeira ou terceira pessoa e afins, a gente não sai desse tópico.

4)Fazer propaganda em todo e qualquer lugar
Essa é um clássico, principalmente em redes sociais (Skoob, então...). A pessoa não se dá ao trabalho de descobrir que você só lê fantasia e te enche o saco pra ler o romance aos moldes dos livros de banca dela. Ou você está conversando com seu amigo sobre uma série de TV de comédia e a pessoa cai de paraquedas anunciando o mais novo livro de terror.
CUSTA saber quem é seu público alvo ou se é um lugar propício para a divulgação? Depois a pessoa vai sair choramingando por aí que ninguém dá bola pros livros dela...

3) Não pesquisar (seja nomes, ambientações, épocas, etc.)
Eu, particularmente, sou contra essa de ser "obrigada" a escrever no Brasil só porque moro aqui. Isso pode abrir um precedente chato para só escrevermos sobre a época em que vivemos ou só sobre as profissões que temos. Acredito que você pode escrever sobre qualquer lugar, tempo e o que for, desde que seja bem feito.
Aí é que entra a importância da pesquisa. Quer escrever uma história se ambientando no Japão feudal? Beleza. Boa sorte. Mas pesquise. E pesquise bem. Infelizmente o que mais temos por aí é gente que pega qualquer explicaçãozinha superficial (Wikipedia é só uma introdução, pessoas. Pra conhecer o básico e ter um norte nas pesquisas) e acha que isso resolve o problema.
Se bem que tem gente que não se dá o trabalho sequer de ir atrás de nomes de personagens...

2) Querer tudo pronto
"Pessoal, como posso descrever minha personagem pulando da ponte e morrendo?". "Galerinha, resume pra mim as regras de pontuação". "Que nome posso colocar no meu personagem?" (juro por [insira o nome da divindade que você segue aqui] que já vi isso).
NÃO. PARA. PARA AGORA. Quer saber como descrever tal coisa? Saber como é X em Y lugar? Quer nome de personagem? ABRE O GOOGLE E PESQUISA. ABRE UM LIVRO E PESQUISA. PROCURA PESSOAS ESPECIALISTAS NO ASSUNTO E PESQUISA. Alguém vê um advogado "pessoal, resume pra mim como faz uma procuração rapidinho" ou um engenheiro "pessoal, como eu posso construir esse prédio"? E se visse, levaria esse tipo de "profissional" a sério? Faria alguma cirurgia ou deixaria alguém que você gosta com o médico lá de cima, que mal sabe como manejar um bisturi? Pois é, ferramentas de pesquisa devem ser aliadas de um escritor. NÃO DÁ pra eu escrever sobre algo que não sei e SEQUER ME MOTIVO A PESQUISAR A RESPEITO e acho mais fácil me contentar com informações resumidinhas por alguém que eu nem sei se é da área.
O(a) próximo(a) que eu encontrar tendo a cara de pau de ir atrás de respostinha pronta em redes sociais, grupos especializados, fóruns ou whatever, já marco o nome pra nunca comprar nada. Se a pessoa não consegue pensar sozinha SEQUER NO NOME DA PORRA DO PROTAGONISTA não posso crer que vai se dedicar a construir um bom enredo.

1)Não saber lidar com elogios e críticas
Apesar do item 2 costumeiramente me irritar mais, coloquei esse em primeiro porque a longo prazo você pode DESTRUIR sua carreira como escritor assim. Sério. Não é exagero cômico (ou raivoso rs).
Saber receber elogios diz respeito a perceber quando eles são realmente sinceros e não deixar o ego crescer demais com eles. Mantenha os pés no chão e mesmo que seja essa Coca-Cola toda, seja sempre respeitoso com seus leitores e com seus colegas de profissão. Simpatia e cordialidade são muito importantes.
Já lidar com críticas quer dizer saber separar o pessoal do profissional. Pretendo fazer outra postagem a respeito mais adiante, então não vou me estender. Em resumo, digo apenas que tenha humildade para reconhecer quando errar e trabalhe para corrigir isso em futuros trabalhos. Mantenha a educação sempre, mesmo que tenha sido uma crítica pesada. Não é porque a outra pessoa baixou o nível que você precisa fazer isso. Aliás, não deve. Observe suas qualidades e defeitos, tenha isso em mente e trabalhe pra mudar o que puder.
Quando você se torna arrogante por se achar perfeito, trata críticos como escritores frustrados, ignora qualquer comentário negativo e/ou ataca as pessoas que não gostaram do que você fez, pode cantar "é só isso, não tem mais jeito, acabou". E boa sorte na nova profissão.


Tem mais algum que irrite vocês? Trocaria algum? Despeje sua raiva aí nos comentários, quem sabe alguém lê isso e muda de atitude. Sei que é otimismo, mas vai que....

Nenhum comentário:

Não gostaria de entrar e tomar uma xícara de café?

Tecnologia do Blogger.