Guia Prático de Como Fazer uma Boa Fanfiction: Beta-Reader (Parte 1)

sábado, maio 30, 2015
Experiência própria: beta depois de trabalhar horas seguidas rs 


“Já escolhi o título da minha história, fiz a sinopse, planejei e comecei a escrever. Pretendo começar a postar, mas como saber se está tudo caminhando bem, se o enredo está funcionando?”
Como eu já falei anteriormente, a revisão do seu texto é muito importante e, infelizmente, quando nós mesmos revisamos nossas histórias, podemos correr o risco de achar que está tudo claro por termos todo o enredo conosco e sabermos tudo o que acontece.
É aí que entra uma terceira pessoa para ler e comentar sua história, o chamado beta-reader ou leitor-beta.


Quem são, o que comem, onde se escondem e por que precisamos deles?
O beta-reader é quem vai ler a história antes da publicação para ajudar o autor a corrigir os erros e melhorá-la, reforçando o que está bom e dando sugestões para melhorar o enredo, além de incentivar o autor a continuar e não se desmotivar. Como vimos antes, por mais que um autor seja cuidadoso e releia o texto inúmeras vezes, provavelmente vai deixar passar um erro ou outro e uma passagem que está clara para o autor pode não estar para o leitor.
Com a ajuda de um beta, o autor poderá solucionar todos esses problemas e ainda melhorar as falhas na caracterização dos personagens e no próprio enredo, além de acrescentar novas cenas ou diálogos que sejam necessários. Às vezes, o autor acha que seu trabalho está pronto, ou quase. O beta-reader lê sem saber o que o autor ‘quis’ dizer, apenas o que ele ‘disse’ realmente. Isso dá uma nova perspectiva para o trabalho.
Ao contrário do que alguns pensam, beta-reader e co-autor são coisas diferentes. É comum alguns autores marcarem beta-readers como co-autores de suas histórias, mas o co-autor é aquele que escreve a fic junto com você. Vocês dois decidem juntos como vão ser os personagens, como eles vão interagir, como será o ambiente, etc., todos os aspectos da história e escrevem juntos.
Já o beta-reader é quem vai ler sua história, apontar o que funciona ou não e como alterar esses pontos que deram errado sugerindo as mudanças e debatendo com você onde e porque essas mudanças devem ser feitas, mas sem escrever a história juntamente com você.

Como encontrar um beta?
Alguns recorrem a amigos, outros a desconhecidos, geralmente pessoas que tenham afinidade pelo mesmo tipo de texto. Existem também sites com sessões especializadas nisso, inclusive com testes para certificação do beta. Outros sites e fóruns permitem que os betas façam cadastros se disponibilizando para determinado tipo de fic.
O beta pode atuar em áreas como estrutura do texto, gramática e ortografia, caracterização dos personagens, desenho do enredo, estilo de escrita, etc. Não é necessário que ele seja brilhante em todos os aspectos, mas é importante ter uma boa noção de cada área e um “bom olho” para achar erros, principalmente os de digitação — o mais comum nas fics. Ter mais de um beta é melhor para encontrar um ou outro tipo de erro, uma vez que as pessoas podem ter habilidades em diferentes partes do texto. Por isso, uma mesma história pode ter mais de um.
Encontrar um bom beta é uma tarefa difícil, porque não se trata apenas de encontrar um competente, mas alguém que tenha afinidade pelo seu tipo de trabalho. Se o beta tem uma visão dos personagens completamente diferente da do autor, não vai funcionar porque ele apontará partes com ‘má caracterização’ que podem não o ser na visão do autor, ou o contrário. Uma dica é ler as histórias dos possíveis betas e ver se a caracterização dos personagens que eles fazem combina com a sua.
Também é importante muita confiança. O trabalho do beta envolve não só fazer elogios quando merecidos, mas também falar o que não está bom quando necessário. Por isso, o beta tem que ter confiança no autor para ser sincero em suas colocações. Em contrapartida, o autor tem que confiar no beta para não só ser capaz de abrir sua história e contar suas ideias, suas expectativas, dificuldades e medos sobre a história, mas principalmente ouvir o que ele tem a dizer de cabeça aberta.
Outra coisa a observar são as expectativas. Se as do beta são muito mais baixas do que as do autor, não vai dar certo, porque ele não encontrará falhas na história e o autor não terá nada específico para trabalhar. A ideia do beta não é “fazer torcida”, é mostrar o caminho para um texto melhor. De novo, ler as histórias de um possível beta pode indicar se ele escreve bem o suficiente para melhorar sua escrita, mas às vezes o problema não é nem o padrão mais baixo, é a escrita muito parecida. Neste caso pode faltar um pouco de perspectiva. Outro problema é que alguém pode ser um excelente beta-reader sem ser autor ou escrever de uma forma que não te agrade, mas ser ótimo para encontrar certos erros.
Por outro lado, se o beta tem um nível de expectativa muito mais elevado que o do autor, não vai funcionar também, porque o autor vai querer deletar o texto inteiro quando começar a receber as críticas ao invés de trabalhar nele e melhorá-lo. Um padrão um pouco mais elevado, tudo bem, mas se a distância for muito grande, o autor não conseguirá acompanhar. Isso também depende da habilidade diplomática do beta-reader e de sua capacidade de encorajar o autor.

Dicas para os autores:
* Agradeça ao seu beta-reader, mesmo se o que ele disse não foi útil ou, você não gostou. Afinal, ele gastou seu tempo lendo seu texto e pensando sobre ele;
* Lembre-se que o que o beta disse é apenas a opinião dele, não é verdade absoluta. Por outro lado, essa é sua história, a decisão é sua, mas vale a pena ouvir, mesmo que não concorde. Por que pedir para alguém ler se não vai escutá-lo?;
* Se alguma sugestão for feita e você não concordar, explique por quê. Quando você explica sua intenção ou motivo, vocês podem chegar a um acordo;
* Seja sempre educado, cordial e mantenha a comunicação. Exponha suas ideias com clareza e não importa qual seja seu posicionamento sobre os apontamentos do beta, converse com ele e busquem sempre chegar a um denominador comum. Equilíbrio é fundamental.

Dicas para os betas:
* O autor deve enviar a história em um formato apropriado para você;
* Não leia outras revisões dessa história ainda. Poderá enviesar a sua opinião;
* Salve uma nova cópia do arquivo com seus comentários para enviar de volta e destaque esses comentários, colocando-os em negrito, usando alguma cor diferente, colocando entre colchetes ou usando o recurso do Word para comentários, assim o autor pode vê-los claramente;
* Passe o revisor de texto antes de ler. Corrija os erros gramaticais e ortográficos que encontrar. Se não tiver certeza de algo, indique o problema e diga que acha que tem algo errado;
* Marque os locais em que a leitura fica estranha, mesmo que não haja erros;
* Comente sempre que achar que um personagem soa errado para você. Leia o diálogo em voz alta e veja se soa como o personagem;
* Elogie onde for cabível e se lembre de acrescentar comentários positivos sobre o texto, pois eles servem para identificar os pontos fortes da história, oferecer encorajamento e evitar que essas boas partes sejam mudadas ou apagadas. Sugira o que poderia ser mudado, pois apenas dizer que o texto está ruim sem fornecer sugestões para melhorar não ajuda em nada. Dê exemplos de melhorias, se possível, pois quando você exemplifica, seu ponto de vista fica muito mais claro para o autor. Sempre seja cauteloso e dê conselhos sempre como sugestões;
* Depois da primeira leitura, espere um pouco e releia o texto. Aliás, faça isso quantas vezes achar necessário. A cada leitura, você pode ver coisas novas, mas é bom dar um tempo entre elas, como um ou dois dias. Por isso, é interessante estabelecer um prazo com o autor para devolver os textos (e respeitar isso. Se precisar de mais tempo, avise);
* Jamais critique o autor pessoalmente. Coloque sua atenção no trabalho escrito;
* Coloque todos os comentários gerais no início, para que o autor os leia primeiro;
* Critique como gostaria de ser criticado. Antes de enviar ou publicar uma revisão, pergunte-se: é assim que eu gostaria de ser tratado? Seja honesto e se não quiser ser beta deste autor de novo, diga;
* Antes de concordar em ser beta, saiba o tipo de história que você vai receber e sua classificação;
* Se há muitos erros técnicos, você não é responsável por corrigir todos. Apenas diga ao autor que há muitos e destaque-os;
* Seja específico e objetivo. Aponte exatamente onde as coisas não funcionam, não apenas comentários gerais vagos;
* Diga ao autor se esse não é seu tipo preferido de história. Isso pode ajudá-lo a compreender melhor seu ponto de vista. Coisas que você não gosta na história podem ser bem interessantes para um fã daquele gênero;
* Não tenha medo de criticar algo, mesmo que não seja do seu gênero. Há certas coisas que são importantes para todo tipo de ficção e qualquer bom autor ou beta deve saber encontrá-las;
* Leia como outras críticas são feitas, especialmente sobre outras histórias: pode ajudar um beta novato a ver como é feito. O bom crítico oferece conselhos objetivos sobre problemas palpáveis ao invés de mostrar apenas preferências pessoais;
* Considere o público alvo: esse texto é apropriado a quem ele se destina?;
* Sinceridade, criticidade e olho-atento pra erros são importantes, mas educação e cordialidade também. Simpatia e respeito sempre.

Últimas considerações
Como eu disse anteriormente, o que está exposto aqui não é regra, até porque cada beta/autor escolhe sua forma de trabalhar. Mas, de qualquer forma, é sempre bom ter um suporte, um auxiliador. O que está aqui é apenas um panorama geral do trabalho do beta-reader e sua importância.

É apenas uma parte 1 e mais informações, especialmente sobre o trabalho do beta, serão trazidas na segunda parte. Até breve. Dicas, sugestões, críticas e pedidos de temas a serem abordados são sempre bem-vindos, só deixar nos comentários.

Nenhum comentário:

Não gostaria de entrar e tomar uma xícara de café?

Tecnologia do Blogger.