Top 5: Coisas da Vida Real que Não Têm Graça na Ficção

domingo, novembro 22, 2015


Muito a gente vê em manuais de escrita ou livros sobre a arte de escrever "bem" que devemos seguir a realidade, observar como as pessoas se comportam, falam, pensam etc e reproduzir isso em nossas histórias.
Aí nas linhas seguintes a gente também observa que não é bem assim. Tem uma série de coisas que acontecem na vida real que não são bem aceitas na ficção (ao menos na grande maioria das histórias) ou até acontecem, mas de uma forma bastante diversificada.
O top 5 de hoje vai mostrar algumas coisas que acontecem com a gente todos os dias, mas que achamos mega sem graça quando lemos num livro. Pega uma lata de refri e vem com a gente...


5) Mudanças bruscas de humor ou comportamento
Quem aqui nunca acordou bem, alegre e saltitante e, do nada ou por um motivo muito bobo e sem importância, ficou super triste, mal e vendo o mundo em preto e branco? Ou mesmo o contrário?
Pois é. Mas imagine como seria na ficção. O personagem tá de boas super feliz e motivado a mudar o mundo e do nada chega à conclusão de que vai dar merda e resolve não fazer nada. Ou está super triste com alguma coisa e por um motivo super idiota fica feliz e muda tudo.
Quando escrevemos um livro, uma fanfic, uma original, ou o que quer que seja com personagens, aprendemos que temos que imitar a realidade. E como imitações não são perfeitas, não há como ser tudo igual. Na ficção, tudo precisa ter um motivo, e dos bons. Caso contrário, vai ficar aquela sensação de que X coisa aconteceu só porque o autor quis.

4) Ações sem maiores objetivos
Quantas vezes nós não fazemos as coisas simplesmente "porque sim"? Ou deixamos de fazer algo somente porque não estamos afim naquele momento? Pois é, nos livros o ideal é que as ações dos personagens tenham importância, mesmo que não estejam ligadas diretamente com a trama principal.
Claro que existem exceções, mas basicamente tudo o que não serve para mover a trama para a frente ou não tem como objetivo apresentar/aprofundar personagens, locais, enredo, etc. tende a ser cortado. Além disso, quanto mais fortes e verossímeis as motivações dos seus personagens, melhor. O leitor cria ligação com ele rapidamente e se interessa mais em continuar lendo.

3) Mil pessoas apaixonadas por uma só
Seja na escola, na faculdade ou no trabalho, acho que todo mundo já teve notícia de alguém mega popular com um batalhão de gente interessada correndo atrás pelos mais diversos motivos.
Mas, ainda que aconteça aos montes em algumas histórias, na ficção todos nós também sabemos como isso fica forçado e maçante. Duas pessoas interessadas numa terceira ainda é legal, deixa o suspense de quem ela pode vir a escolher (embora triângulos também já estejam clichês). Mas mais do que isso já fica estranho. Vamos redistribuir os interesses amorosos aí, gente. Chega de um/a protagonista com 20 caras/garotas atrás e outros largados às moscas. Socialismo sentimental, apoie essa ideia.

2) Descrições detalhadas de coisas sem importância
Imagine que você acorda, levanta da cama, vai ao banheiro, escova os dentes e sai de casa para ir até a padaria da esquina tomar seu café da manhã. Seu objetivo é ir até lá para comprar sua refeição matinal, certo? Certo. Passemos adiante.
Aí no meio do caminho você vê uma flor vermelha com listas douradas e resolve levá-la para casa. Na volta, encontra seu vizinho e pergunta pra ele se ele conhece, descobrindo que se trata de uma espécie rara de uma floresta distante de um lugar que você nem sabia que existia. Você volta para casa e a coloca ao lado do computador para pesquisar mais sobre ela depois.
E nunca mais o faz. E, pior ainda, a fucking florzinha não tem importância nenhuma na sua vida. Não fez nenhuma diferença você tê-la encontrado ou não.
Quantos livros não se tornam chatos e maçantes por terem subtramas completamente desnecessárias e/ou desconectadas do acontecimento principal do livro? Quantos objetos aparentemente importantes são deixados de lado e nunca mais são mencionados na história? Quantos personagens são deixados para trás mesmo quando você podia jurar que fariam a diferença em algum ponto da trama?
Uma das primeiras coisas que aprendemos no mundo da escrita é que a história é mais concreta e mais legal de se ler quando as coisas estão conectadas e/ou as subtramas contribuirão de alguma forma para desenvolvimento do enredo e/ou dos personagens.
De novo: Se uma determinada cena não faz sentido, aparenta estar deslocada ou não avança com a história e não serve nem para desenvolver o personagem, talvez ela deva ser simplesmente cortada de sua história. Não tenha medo, pratique o desapego. Se ela aparenta não fazer diferença, geralmente não fará mesmo. Corte sem dó. Seu texto ficará mais enxuto, coeso e coerente, ainda que lhe pareça menor em tamanho. Mesmo porque tamanho não é documento. No universo da escrita, menos é mais.

1) Diálogos inúteis
Pare pra pensar em quantos free talkers nós encontramos todos os dias. Desde os "opa, parece que vai chover hoje, né?" até os desconhecidos que chegam conversando qualquer coisa para a qual você não dá a mínima numa fila, sala de espera ou evento qualquer.
Agora imagine todos eles esmiuçados em livros. Que tédio seria! Mais uma vez, pra ficar claro (repeti a mesma coisa 3 vezes num texto, já posso pedir música no Fantástico!): tudo o que está na história tem que ser relevante e mover a trama pra frente, sejam diálogos, descrições, trechos ou mesmo cenas inteiras. Afinal, é isso que mantém o leitor preso no que está lendo. Então calcule o desafio de colocar todas essas coisas que não levam a lugar nenhum e ainda deixá-las interessantes.
A não ser que o fato de estar chovendo ou não faça diferença na história. Nesse caso o "parece que vai chover hoje" talvez seja útil. Por via das dúvidas, aja como sua vó e mande seu personagem levar o guarda-chuva e não se esquecer do casaquinho.



Lembrou de mais algum item? Ou já escreveu algo parecido que se encaixa em um desses? Deixa nos comentários. De repente, rola uma parte 2.
Espero que tenham curtido e mil desculpas pela ausência de postagens no blog. 2015 tá osso, mas uma hora passa HAHAHA
Vejo vocês na próxima semana. Ou na outra. Ou, talvez, na outra. Mas estarei aqui em algum momento, não se preocupem :*

Um comentário:

  1. Eu gosto da coisa da mudança de humor. Detesto personagens enfadonhos, que aceitam totalmente a realidade, como se fossem personagens perfeitos, totalmente irreais. Acho que desde que haja a explicação pra essa mudança abrupta, por mim tá tudo bem.

    http://criptografandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Não gostaria de entrar e tomar uma xícara de café?

Tecnologia do Blogger.